Prevenção contra raios: 7 coisas para lembrar

WMAI Brasil Agenda Cursos Parceiros Contato Artigos e Vídeos

 

Prevenção contra raios: 7 coisas para lembrar

por Judi Alberi

20 de agosto de 2012, original em inglês.

Tradução livre por Samanta Chu, adaptado do texto original

 
Em breve o verão estará chegando e o risco de ser atingido por um raio é sempre presente.Antes de se preparar para sua aventura é importante se preparar para evitar o risco de ser atingido por um raio.

Abaixo seguem algumas dicas importantes para você se prevenir:

  1. Conheça o padrão de clima da região. Procure uma área de baixo risco para se abrigar quando você vir raio ou ouvir trovão. Raios podem cair a qualquer momento quando o tempo entre o clarão do raio e o barulho do trovão for menor do que 30 segundos
  2. Lembre que raios podem cair mesmo quando não está chovendo e não nuvens visíveis no céu
  3. Evite áreas expostas durante tempestades potenciais como riachos, fendas, gretas, arestas, torres/locais altos, mar aberto, objetos altos isolados e entrada de cavernas ou edifícios.
  4. Fique baixo e sente ou agache de modo a reduzir a sua área de contato com o chão. Embora a eficácia seja questionável, sentar sobre um isolante como EVA, uma corda ou outro revestimento não irá fazer mal.
  5. O risco de ser atingido por um raio aumenta conforme o intervalo diminui. Estimar a distância dos raios dividindo o intervalo de tempo em segundos entre o clarão e o trovão por 3 irá lhe fornecer a distância em km. É simples mas não super preciso.
  6. Espalhe o grupo, mas mantenha contato visual se possível, para evitar um evento com múltiplos envolvidos
  7. Se você puder ir para uma área de menor risco continue em movimento nesta direção. Dentro de seu veículo é o lugar mais seguro.

 

Tratamento de lesão por raios

O dimensionamento da cena é especialmente importante ao responder a eventos com raio. Topo de montanhas ou paredes de pedra podem ser particularmente perigosos de abordar. Procure por outros pacientes uma vez que 10% dos acidentes com raio envolvem duas ou mais pessoas. 25% dos sobreviventes desenvolvem problemas físicos ou psicológicos de longo prazo, como dor crônica ou depressão.

  • Inicie suporte básico/avançado imediatamente
  • Trate o que você vê:
    • parada cardiorrespiratória – raios podem induzir parada cardiorrespiratória. O pulso frequentemente retorna espontaneamente se o dano ao coração for mínimo. Se não retornar, ressuscitação cardiopulmonar (RCP) imediata e ventilação com pressão positiva (VPP) podem salvar a vida
    • trauma fechado ou penetrante – raro mais possível, a força de um impacto direto ou quase direto pode causar trauma fechado significante incluindo o rompimento de órgãos e fratura de ossos
    • debilitação neurológica – muitos pacientes sofrem perda de consciência, amnésia, dormência, formigamento e fraqueza
    • queimaduras – a maior parte das queimaduras é superficial. Menos de 5% dos pacientes sofrem queimaduras mais sérias, mais profundas.

 

Boa parte dessa informação é proveniente do nosso Guia de Bolso de Medicina de Áreas Remotas e Resgate. O texto revisado há alguns anos, impresso em papel impermeável, serve como uma ótima referência de campo para aqueles bem versados em emergências médicas de áreas remotas.

 
Gostou do artigo? Compartilhe!
Curta a nossa página no Facebook e nos siga no Instagram

Gostaria de receber informações sobre os nossos cursos? Nos deixe o seu contato.